3 livros sabios

3 livros sabios

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Bansky nos simpsons!

CARAMBA isso foi muito além de qualquer coisa que eu já chamei de politicamente incorreto! Não adianta tentar explicar pq eu também não entendi como isso foi aceito pelos produtores! mas essa foi a abertura criada pelo artista de stret-Art Bansky para a abertura dos Simpsons na Fox americana e que foi ao ar dia 10/out/2010 dê só uma olhada! video esse artista é muito doido! eu já havia visto algumas de suas OBRAS e realmente! ele é FODA, o assustador é a acidez Pós-moderna mesclada com a técnica e o alcançe! a abertura dos simpsons é um marco do POP atual! (e lady gaga se vestindo de carne! que nojo GAGA - não viu, veja- ) não me cabe analisar as propostas, mas que pode-se esperar muito desse artista, não tenho duvidas. IMAGENS

Das Variações de uma perspectiva.

Vira e mexe encontro na net umas imagens que me deicham chocado! é cada coisa! inovações artisticas, lugares extemporaneos, fotos consagradas das ultimas décadas, (gente feia no ORKUT) de todas essas vou fazer um breve relato sobre algo de Significante ue aconteceu comigo... estamos em 1889, a cortina de ferro se foi mas o mundo ainda é bipolar, bombas podem destruir o mundo a qualquer momento, grandes guerras ainda rumorejam os cenários internacionais, o 14º Dalai-Lama recebe o Nobel de paz e acontece o GRANDE o Protesto (MASSACRE) da praça da paz celestial. Protesto na Praça da Paz Celestial em 1989 tem alguém que não conhece essa imagem? vejo esse rapaz na frente dos tanques de guerra segurando uma espécie de sacola e penso CARA como vc era doido, claro dependendo do dia isso varia um pouco, afinal o que faz alguém acreditar tanto em um ideal? afinal não conheço ninguém que entraria na frente de uma coluna de tanques de guerra armado de sacolas e de uma ideia na cabeça! ainda mais pq não sei se vc já viu as imagens do que foi feito com os outros estudantes nesse mesmo ano nesse mesmo protesto! (se vc não tiver o estômago fraco, desative a moderação do Google imagens e veja AQUI) toda vez que estou zapeando na net encontro inúmeras considerações sobre a foto, mas há um tempo atrás aconteceu algo inusitado! encontrei em um blog que não lembro o nome uma variação desta foto que se tornou um marco, eu já havia procurado pelo vídeo que foi feito junto com a foto (VÍDEO) mas como esse momento histórico se constituiu em minha mente através desta imagem aérea, onde se vê a trilha de tanques eminentemente colada ao estudante, minhas conjecturas sobre a imagem sempre se formularam com as hipóteses do que havia acontecido imediatamente após os momentos registrados, então encontrei essa foto e vejam só! pasmei, depois de identificar o rapaz e também os tanques vindo - o rapaz esperou "friamente" a aproximação dos tanques! tudo o quê eu havia pensado até então tive de pensar ao contrario! (essa foi a fonte - o blog esta em inglês mas mesmo sendo um analfabeto funcional em inglês -como eu- dá pra catar umas migalhas de explicação, agora se vc é ruim mesmo com essa coisa tem esse outro blog aqui, que tem melhores considerações que as minhas sobre o fato) fiquei tão pasmado de não perceber o quão mitificada era a imagem do estudante para mim! um ângulo diferente e PAFFT, tomei um baita tapa da mãe realidade, se bem que nesse caso o estudante passou a ter mais crédito! bem cansei de escrever, como eu disse sem tratados filosóficos por aqui! E TENHO DITO!

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Oscar Niemeyer; un architecte engagé dans le siècle

Não que dessa forma eu suprima à fome do mundo! ou da falta de conhecimento, os resolva o problema de 1,3 milhões de Paulistas que votaram no Tiririca, mas é que quando eu fiz esse texto foi difícil pra CARACA achar qualquer coisa na rede que me ajudasse! DAI, resolvi disponibiliza-lo tal e qual o compus, se trata de um ensaio sobre um filme (olha só que louco) franco-belga que o professor comprou online made in JAPAN! doido néah, o os professores da ECA/USP adoram fazer esse tipo de coisa, o Seicman -LATTES- por exemplo resolveu passar esse semestre enfiando a Flauta Magica (Na foto a direita, a rainha da noite! sabe aquela da Ária super esguelada o video , claro tentei piorar tudo linkando o vídeo original e com legendas em espanhol! hauahaaha) em Sueco em nossas mentes jovens e deslocadas #fazmerir (ou descoladas dependendo do aluno) "CARAMBOLA DE CINCO PONTAS", por um mês! quanto coisa em sueco! quanta Opera, quantos QUANTO, a história da Flauta Magica é bem legal, MAS PELO AMOR DE DEUS ninguém merece assistir 5 Horas de ópera em sueco!

por fim! o texto que originou essa postagem!

Introdução a Museologia. Professor DR° Martin Grossman

Felipe Salles Silva N°USP 7164117.

Relatório e Argumentação sobre o documentário “Oscar Niemeyer; un architecte engagé dans le siècle”

"Arquitetura nasce na cabeça, na imaginação. Depois vem a reflexão de como fazer” Oscar Niemeyer.

No princípio, a gradação é indefinida, a costa, o mar, a montanha, o museu. Levitando sobre o Cristo e sobre o Rio lança-se em um loop, o grande O.V.N.I. Surge para assombrar com sua leveza e simplicidade: Da natureza à arquitetura de Niemeyer, há apenas um passo. Diz o mestre Niemeyer “Não é o ângulo reto que me atrai, nem a linha reta, dura, inflexível, criada pelo homem. O que me atrai é a curva livre e sensual, a curva que encontro nas montanhas do meu país, no curso sinuoso dos seus rios, nas ondas do mar, no corpo da mulher preferida. De curvas é feito todo o universo, o universo curvo de Einstein. " nos próximos 110 minutos é o que perceberemos. Tudo parece fluir naturalmente das mãos do mestre, os planos de imagem nos remetem a construções magníficas, esboços se tornam grandes lajes curvas, domos imensos, arquitetura fantástica, arquitetura anti-realista, o documentário não tece qualquer consideração sobre a crítica feita à arquitetura a lá Niemeyer, imagética, escultural e majestática, erigida sobre painéis de concreto impregnados das infiltrações ideológicas tão comuns as criações dos grandes mestres, pelo contrario, atire a primeira pedra aquele que for maior! Ou melhor, vasculhem o mundo procurando alguém que tenha sido maior. Do ponto humano e do ponto do deslumbramento parte o documento visual.

Niemeyer relata sua incrível jornada como arquiteto desde os anos 40 no Brasil através de seu exílio na Europa, até a atualidade, quando continua a resmungar os seus sonhos de construtor. O diretor Marc-Henri Wajnberg enlaça com experiência extraordinária a íntima relação entre Oscar Niemeyer, sua arte e a natureza. É notável a seqüência em que a câmera parece acariciar a curva da rampa que dá acesso ao Museu de Arte Contemporânea de Niterói, esse edifício que desabrocha a beleza de seu entorno. O documento procede.

Um edifício emerge. Uma paisagem em plena floração surge, é Brasília que rebenta no cerrado brasileiro, nosso maior idílio coletivo, 50 anos em 5, foi o que vimos, alçado o primeiro vôo do plano piloto, o seu tempo de construção não ultrapassa dez anos, esta cidade ainda “futurista”, representa uma alternativa poética ao modernismo que ganhava espaço no cenário internacional, linhas e ângulos que passariam a ser imitados pela arquitetura moderna da Europa dos saudosos anos 60 e 70.( Niemeyer, inspirado por Le Corbusier e pela paisagem de sua terra, desenvolveu um estilo escultural, fluido, uma força expressionista única. Em concreto armado, ele criou e cria estruturas que, grifam a beleza harmônica das montanhas, baías, praias, parques... Por sua vez o relato de Wajnberg sobre Niemeyer descreve imagens espasmódicas e visões peculiares, nos insere no âmago da obra, expondo uma miscelânea excitante que é a combinação de estruturas e as formas do vazio, as imensas veredas criadas pela arquitetura do senhor Brasília). Brasília, a capital modernista para o país "do futuro", irrompe como poderosa rebentação de aço e concreto no coração do Planalto Central, dos desejos de grandeza de uma “nova” nação. Brasília nasceu da convergência de dois projetos, o dos arquitetos modernistas, que queriam construir uma cidade "radiante" posta como a égide de um mundo melhor, determinista e inclusivo, e o do presidente Bossa-nova Juscelino Kubitschek, que sonhava com um novo Brasil e uma nova capital que explicitasse as aspirações de toda a nação, a riqueza e a igualdade, desse benéfico sincretismo, germina a capital do nosso pais.

Sobre esse acontecimento histórico o mestre Niemeyer relata, sopesando memórias e fatos, o deserto, os trabalhadores do acampamento, os pilares instalados pela primeira vez, as estruturas de concreto se entronizado no meio do ermo... Poucos meses depois, a nova capital do Brasil nasceu. Niemeyer fala sobre sua visão de uma capital moderna, e as condições impostas para que no caso de Brasília esse sonho louco toma-se forma.

Um olhar voyeurista move-se sobre cenários deslumbrantes durante todo o trajeto proposto pelo documentário, a poética “Niememeyeriana” se estende a todas as partes do mundo, mas aqui ela enseja sua totalidade, foi para estas terras e destas terras que surgiu o traço curvo criador de Oscar.

Ao termino, os que ainda possuírem fôlego para protesto perguntarão por que Brasília, inaugurada em abril de 1960, exuberantemente, “humanista”, apaixonante, nunca alcançou as metas de seus criadores, irradiando a modernidade para todo o Brasil, perguntando-se o que aconteceu com as cidades satélites do Distrito Federal que hoje são habitadas por pessoas vindas de todas as partes do país, que nunca puderam provar dos sonhos de crescimento gerados pelas grandes cúpulas e pelos leves palácios de Brasília? Os radicais, sempre os radicais, a favor ou contra o homem é sempre falível na medida em que progride para um ou outro lado, bem como sua arquitetura, anseios e volições; Que dizer do que fizemos de nós mesmos? Que dizer dos homens que construíram Brasília 50 anos atrás? Que dizer daqueles que nunca entenderam e que nunca deram continuidade a pedra fundamental da modernidade enterrada no árido Centro-Oeste do país?

Marc-Henri Wajnberg compôs um retrato único e cativante de um dos maiores arquitetos do século XX. A câmera, muitas vezes felina, às vezes doce, amorosamente disseca Oscar Niemeyer, um homem que nunca entrou em silencio e que emoldura toda uma era. O maior ícone da arquitetura moderna no Brasil recebe nesse documentário Belgo-Nipônico produzido em 2003 todo o crédito merecido por suas absurdas estruturas que nos cerceiam com as lufadas de um tempo distante que não morreu.

espero ter ajudado! E TENHO DITO!

Olha o tipo de besteira!

Olha o tipo de besteira que eu vivia fazendo! pega daqui corta de lá, faz o diabo em sujeira, leva uma bronca e PAFT, FICOU PRONTA MINHA ARTE REVOLUCIONARIA!

Nos velhos tempos do Caderninho!

Há um tempo pensei que minha Cuca ia fundir de vez se eu tentasse guardar tudo de "diferente" diga-se inútil, que eu porventura encontrasse visse, lê-se... Então resolvi comprar um cadernos de memórias, VULGO diário, mas como diário é coisa de Boiola (como bem lembraram minhas irmãs - por um bom tempo, tempo demais) é claro que o meu tinha de ter capa de couro preto e quase nada escrito, muitos erros de português bem masculinos, letras garranchudas, e uma porção de colagens, mais estéticas que qualquer outra coisa! Minha idéia original era relacioná-las unindo as mesmas noticias veiculadas por diferentes meios de comunicação e escrever um adendo, algo significativo, sei lá, nada assim "segundo BAKHTIN,1976", ...... credo! longe disso, era mais como! caramba a foto enfatiza mais o fato de o presidente só ter 4 dedos! (que por sinal é uma ótima piada interna para o país), DAÍ QUE, o tempo passou, o caderninho ficou cheio, mas eu quase não escrevi nada! Então vou postar umas imagens de Scanner VIRA E MEXE, pra dar umas risadas dos meus erros primários com a língua materna! Pra mim é assim, ORALIZO, LOGO EXISTO! Só não me peça para escrever!

Eram umas coisas assim ó...

transcrição -- (pq nem todo mundo tem super poderes de leitura ! ainda mais com essas letrinhas tinindo!)

DO LADO ESQUERDO, uma grande descoberta para a cienc

ia, Uma folha Canadense Brasileira, DE VERDADE! achei aqui no bairro! perto de casa!

(FALO DO lula) O MAIS bURRINHO! não tem um cenario SKYLINE (tipo o Hu jin TAO) nem com BIBLIOTECA (tipo o do 1° Comedor oficial da Italia) e claro o abajur dele não está funcionando, pq no Brasil, o presidente não trabalha de noite! É, E TENHO DITO.

domingo, 10 de outubro de 2010

a loucura....

Hannibal Lecter, Tyler Durden, Darth Vader. A loucura é um dos elementos mais importantes da cultura pop atual. Os loucos são admirados e a loucura é tida como sinônimo de curtir a vida. Até que ponto diversificar experiências é saudável? Como saber o que é loucura e o que não é nesse mundo tão plural? É possível se livrar da loucura? É possível não desejá-la? Na nossa próxima reunião, no mesmo bat-local, no mesmo bat-horário! Why so serioussss? (roubei tudinho de um colega do GEA-USP)

1º Post

é, pode ser que dê certo então vou começar com os dois pés de uma unica vez! juro (tentar) não extrapolar no conteudo! trazer algo de util po minhas próprias mãs à internet, encher os possiveis leitores de erros de digitação! eu juro solenemente não escrever nada de bom! só o que é Pos-moderno!